29 de julho de 2010

quem é mais sentimental que eu?

Eu só aceito a condição
de ter você só pra mim,
eu sei, não é assim,
mas deixa eu fingir...
...e rir ♪

[Rodrigo Amarante - Sentimental]

23 de julho de 2010

Trouxe-me o que eu precisava


Hoje ela estava só, reluzente à mesma maneira que acompanhada, iluminava não só os olhos de quem a olhava, mas também dentro de seu ser. A ausência daqueles pontinhos brilhantes que geralmente fazem companhia, tornava aquele dia realmente diferente e curioso.
O vento que batia nos cabelos não trazia frio nem dor, como de costume, trazia fé e aumentava a esperança que adormecera com o tempo e com os amores que fazem chorar o coração da gente.
Ela estava escondidinha e lutava para não sumir, pois sabia da grande importância que fazia naquela noite.
Transbordava ternura e acalentava os sonhos e desejos daquela menininha que temia ingenuamente a felicidade que a vida tanto lhe proporcionava.

22 de julho de 2010

Se um dia a gente se encontrar de novo

Eu te amei. Nunca disse, como você também não disse, mas acho que você soube. Pena que as grandes e as cucas confusas não saibam amar. Pena também que a gente se envergonhe de dizer, a gente não devia ter vergonha do que é bonito. Penso sempre que um dia a gente vai se encontrar de novo, e que então tudo vai ser mais claro, que não vai mais haver medo nem coisas falsas. Há uma porção de coisas minhas que você não sabe, e que precisaria saber para compreender todas as vezes que fugi de você e voltei e tornei a fugir. São coisas difíceis de serem contadas, mais difíceis talvez de serem compreendidas — se um dia a gente se encontrar de novo, em amor, eu direi delas, caso contrário não será preciso. Essas coisas não pedem resposta nem ressonância alguma em você: eu só queria que você soubesse do muito amor e ternura que eu tinha — e tenho — pra você. Acho que é bom a gente saber que existe desse jeito em alguém, como você existe em mim.

Caio Fernando Abreu

21 de julho de 2010

Tudo na nossa vida depende das nossas escolhas. Algumas nos levam para caminhos ruins, outras nos levam também para caminhos ruins, mas caminhos esses que nos ensinam coisas que talvez as escolhas que nos levam para bons caminhos não chegam nem perto de ensinar.
É realmente muito difícil quando se tem que fazer uma escolha que você sabe quais serão as consequências. Essas quais não serão boas para todos. No meu caso, alguém pode sair magoado e esse alguém pode até ser eu mesma.
Escolher te ter, escolher lutar por você é de fato me arriscar, coisa que geralmente eu não faço por medo de sofrer, eu acho. Pra você, é medo de ser feliz. Pode ser também...
E eu me sentia muito feliz sozinha e era assim que eu pretendia ficar até você aparecer, de novo.
Por que estamos com outras pessoas quando nós deveríamos estar juntos? Aconteceu isso antes comigo, agora é com você. Será que é realmente pra acontecer ou uma incrível coincidência? Devemos deixar para nos esbarrar pela quarta vez na vida? Acho que não...


p.s.: Me perdoe se estou escrevendo sobre você quando deveria ser sobre nós dois.

4 de julho de 2010

e está tudo tão doce por aqui;

.
vem mais,
vem adocicando com esse jeitinho tênue.
torna belo,
belo aquilo que estava te esperando pra desabrochar.
dá sentido
a esse imenso amor que guardo em mim.