15 de novembro de 2012

Deixa eu gostar de você

Queria brincar de me esconder em você. Em seus sorrisos discretos. Nos seus olhares curiosos. Na sua boca atrevida. Assim, todinho em você, menino, que sabe fingir como ninguém que esse negócio de amor não chegou aí. Engraçado, pois vejo cada pedaço de você coberto dessa coisa doida. Dá vontade, sabia? E quero tê-lo.

Você. Aventuras. Perigos. Carinhos. Tudo que vem daí. Tão lindo. E bonito isso de te lembrar, ficar bem com esse teu sossego que invade essa minha vontade de explosão. E você explode comigo, aqui, e eu, sossego contigo, aí.

Eu não sei o que é isso não. Só que é bom. E só. Você sabe me desestruturar, assim, inteirinha. Abala todos os meus alicerces e desmonto por você. Com você. Vejo tantas coisas boas nisso tudo. E é leve, sabe?! To deixando chegar de mansinho, desse jeito teu.