13 de novembro de 2015

O motivo, talvez...

Eu confesso, se você me perguntar um motivo exato pra ter escolhido nós, você, eu não sei dizer. Talvez tenha sido seu jeito engraçado que já me fez rir de cara, ou quem sabe por ter transparecido ser um pouco cafajeste? É que, sei lá, você sabe, as mulheres gostam um pouco disso. Talvez tenha sido quando mostrou ser um homem mesmo, um homem que vai atrás do que quer, que assume suas responsabilidades e, mais que isso, vive tudo de uma forma muito leve. Mas olha, quando você cantou pra mim... Chorei! "E hoje eu descobri o quanto eu te quero...". Me encantou de uma forma assustadora. Não foi só uma música, um som, foi muito mais, eu senti você, seu coração e você tocou o meu. Talvez tenha começado aí. Ou talvez pelos seus jeitos de chegar, como se fosse se entregar pra mim, de peito aberto e se dispondo a tudo que estaria por vir. Também acho que possa ter sido naquela praça. Você todo lindo, romântico, andando pelas ruas do Largo do Machado ao som de Jimi Hendrix, que o moço tocava aquela música que você gosta e eu passei a gostar tanto também. Parecia um daqueles filmes de romance. E olha, se for pra escolher, aquele talvez seja um dos meus dias preferidos com você. Talvez tenha sido pela forma que pegava na minha mão, ou pelos olhinhos miudinhos me olhando cheio de ternura tentando não denunciar o seu tesão por mim, ou pelo jeito que me envolvia nos seus braços para me proteger do frio de uma madrugada gelada no alto de Santa Teresa depois de a gente ter arriscado dançar um forrozinho. Talvez por você ter feito de Niterói a minha cidade preferida do Rio de Janeiro. Ou por você querer me proporcionar tantas coisas que eu não vivi. Uma simples tarde no parque com direito a picolé de nozes que você odiou. Lembra?! Beijo com gosto de madeira. Um passeio de barca só por que nunca tinha andado. Um pedido de namoro tão encantador, tendo a lua como testemunha dessa doideira que nos propusemos a viver. Esse amor. Talvez possa ser por que você se apaixonou por Los Hermanos e admito, ganhou infinitos pontos por isso. Talvez por que você cantou (ou tentou) na beira da praia, mas o show dos LH do outro lado do RJ estragou os seus planos por que só sabíamos cantarolar as músicas deles. Talvez seja o café da manhã que você fez pra mim e levou na cama, e foi tão bonitinho a tentativa sem sucesso de fazer um bolo de caneca. Talvez por que você foi incrível em ter ido ao show comigo. Talvez tenha sido pra te proteger, por que vamos combinar, né?! Você precisa de todo cuidado. Preciso cuidar pra que você se alimente direito, use seu remédio de alergia ou tome um suco de beterraba, laranja e cenoura. Tá, sei que você não gosta e provavelmente tenha feito uma cara de nojinho quando leu. Viu?! Precisa de cuidados. Talvez também seja por que você me fez inteiramente sua. Sua mulher, sua menina. E me deixou tão cheia desejos, tão cheia de urgências por você, tão cheia de coraçõezinhos imaginários voando a minha volta. Talvez o motivo seja todos esses e muitos outros, talvez o motivo seja você todos os dias ser tão presente como se não estivéssemos a quilômetros de distância. Talvez o motivo seja todos os dias você fazer com que eu me apaixone ainda mais por cada detalhe em você. Talvez o motivo seja que o amanhã é mais um motivo, e depois de amanhã, e depois também...

4 de junho de 2015

Bom dia, meu amor

"Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz..."

Meu amor, hoje a saudade veio de um jeito gostoso, sabe?! Até chegou a doer um pouquinho em alguns momentos, mas em grande parte, não. Fiquei lembrando do último domingo e em como eu quero todos os meus dias o "bom dia" que tivemos. Só nós dois, aquela sua voz de sono que adoro, beijos de quem está meio que dormindo ainda e, amor, eu fiquei te olhando dormir, você, ali, tão meu, só pra mim, eu senti que nada pode abalar o que temos. É muito, é forte, é grande, é maior do que imaginamos, provavelmente. Olha, amor, queria dizer pra você do seu sabor, do seu gosto que tanto fica em mim, dos seus beijos apaixonados cheios de doçura e tesão. Porra! Quanto...! Do calor que eu sinto quando está comigo, de você em mim. Do enlace das nossas pernas, dos nossos corpos. Da melhor conchinha do mundo, do jeito que a gente se encaixa, que a gente se completa, do que jeito que você me veste e como cabemos um no outro. Quero dizer que eu sou sua menina, viu?! E você é o meu rapaz. Sou sua e você é meu, temos a lua como testemunha dessa nossa entrega. Meu amor, você deixa tudo mais bonito, mais azul, que agora é a cor do amor, do nosso amor, do nosso lar. Eu em você, você em mim. A casa que fizemos um no outro. Às vezes quero escrever, eternizar em palavras nós dois, mas você já tornou tudo poesia, todos os nossos momentos, nossas conversas, nossos sorrisos. Tudo! Você, meu amor, é a minha melhor poesia, a mais linda, a mais romântica, a que mais tem fogo, e que fogo, a mais louca, a que me deixa leve. Eu dedilho seu corpo e consigo ler o tanto de amor que tem, consigo ver que ele transborda de um jeito bom. Quero me inundar de você e de tudo isso que você me proporciona, dessa felicidade sem fim, dessa paixão que arde deliciosamente, dessa alegria radiante. Você, meu amor, meu príncipe, meu homem. Hoje, eu fiquei daqui imaginando você aí, fisicamente separados, amanhã, ou o quanto logo, quero nós, suas mãos em mim, sua boca, seus convites pra dormir no pé do meu ouvido, e me aconchegar nos braços do meu homem, você, que tem o melhor abraço que eu já conheci.

E vou te olhar todos os dias de manhã e dizer que sou completamente apaixonada por você, meu amor.

15 de maio de 2015

Nós

"e até quem me vê lendo jornal 
na fila do pão 
sabe que eu te encontrei..."

Não fazia parte do meu plano te conhecer, gostar de cada coisinha em você, amar tanto o que somos. Não era pra eu me apaixonar pelos seus olhares que já são tão meus, pelos olhos miudinhos que me entregam tanta ternura e te denuncia tão apaixonado também. Não era pra eu querer me entregar assim e ser inteiramente sua. Não era pra ser meu som preferido a sua risada. Nem ficar lembrando do seu jeito de chegar lindo, que me deixa ansiosa por aquele abraço nosso, no qual eu poderia morar pra sempre. E eu me sinto tão sua nos seus braços, sinto tanto carinho e tanta paz. Não era pra eu invadir aí e tumultuar tudo em você. Não era pra nada disso estar dando tão certo. Não era para o meu coração ficar como uma escola de samba enlouquecida quando você está perto. Não era pra você cuidar de mim do jeito que você faz. Nem era pra gente deixar rastros de amor por onde passamos. Não era pra você cantar e tocar meu coração dessa forma tão assustadora e profunda. Não era pra você ser tão incrível.

Não lembro de querer o mundo assim desse jeito como quero com você. E eu quero você. Todo. Meu. Quero todos os seus beijos, seus toques, seu cheiro em mim depois de cada encontro. E mesmo que seja encontros numerados e, até então, limitados... Eu quero! Quero você com seus medos, como você me quis com os meus, e cuidar de você e de nós. Eu nunca me vi nos sonhos de ninguém como eu me vejo nos seus, e você nos meus. Você, hoje, é um dos meus sonhos também. E não solta a minha mão, tá?! Me leva com você, em você. Você vai estar sempre em mim. E olha só o que você faz comigo... Até nos jogos do seu Botafogo eu vou imaginar você lá alucinado, enlouquecido e te confesso que vou até torcer pra te ver feliz, menos contra o Flamengo, é claro. Cada vez que eu olhar o céu, a noite, vou procurar a lua, porque me lembra você. E quando eu acabar dormindo sem o nosso "boa noite" eu vou acordar no meio da madrugada porque faltou nós. E todas as vezes que eu ouvir Los Hermanos? Porra! Você pegou eles pra você também e agora eles são tão da gente. E, amor, você xinga da forma mais engraçada, fofa e encantadora do mundo. Pois é... Vou te encontrar em tudo. E sabe de uma coisa? Eu mesma vou procurar por você nos lugares, nas pessoas, nas músicas. É você! Eu também sinto isso, sabe?! Somos nós dois... Nessa vida e até acredito que em outras vidas. E eu quero fazer com você todos os planos pra nós...

Bem... Não pega mal dizer todos os dias o quanto eu estou apaixonada por você, né?!