27 de maio de 2017

27 de maio

Amo você e os pulos que você da em cima de mim às vezes, do nada. Amo você e o arroz que acabou de aprender a fazer certinho. Amo você e o bife tão gostoso que faz para a gente. Amo você e os mil esporros que me dá por eu ser um pouco bagunceira. Amo você e o seu ombro meio duro que é o meu travesseiro preferido onde deito todo dia. Amo você e por isso te lembro de cortar as unhas. Amo você e o seu jeito de espremer os olhos, eles ficam miudinhos e fofos. Amo você e os "eu te amo" de todos os dias de manhã que sempre me diz, eles preenchem os meus dias e deixa tudo bem mais leve. Amo você e os abraços super apertados que você me da, que às vezes parece que vão quebrar as minhas costelas. Amo você e a confiança que sente em mim. Amo você e os bolos de pote que leva para a gente. Amo você e amo o Botafogo, confesso, porque te deixa tão feliz. Amo você e a forma como penetra em mim (não literal e literalmente também). Amo você e quando a gente goza juntos. Amo você e quando nos encontramos nos nossos beijos e esquecemos de respirar por alguns segundos. Amo você e todos os apelidos que você me da, até os engraçados. Amo você, mas não goste que me chame pelo nome, sou o seu amor, mozi, vida, rainha, Carla é para as outras pessoas. Amo você e a filha de coração que você me deu. Amo você e quando saímos pra jantar fora, até quando é em frente ao moto táxi. Amo você e a cor azul, que é nossa. Amo você quando ouvimos Los Hermanos juntos e lembro que eu cantarolava para ti "você me falou pr'eu não me preocupar, ter fé e ver coragem no amor" e hoje temos isso tatuado em nós de tão sincero que foi e é. Amo você, pois somos o último romance um do outro e que Deus queira assim até que a gente fique bem velhinhos. Amo você e a forma que me faz manter a calma quando temos milhões de contas para pagar e o mês tenha sido apertado. Amo você e de como cuidou de mim quando queimei a mão. Amo você e os pratos de pedreiro que faz para mim, porque diz que eu como muito pouco. Amo você quando diz que eu estou linda. Amo você quando usa sua camisa cor de vinho. Amo você e como você é bobo e como me faz rir das suas bobeiras também. Amo quando você percebe que algo me incomoda e me pergunta "o que foi?" daquele jeitinho todo carinhoso. Amo você e o seu coração tão grande e generoso. Amo você e a sua voz quando canta qualquer coisa. Amo você e os dias de domingo e feriado, quando dormimos até tarde juntinhos. Amo você e me controlo para não fazer cócegas em você, sei que odeia. Amo você e vejo que tem se tornado melhor a cada dia e que tem se esforçado para ser assim. Amo você e amo te ouvir dizer que sou sua quando fazemos amor, sua mulher, sua cachorra, sua puta. Sim. Sou  c o m p l e t a m e n t e  SUA. Amo você e os beijos na testa que sempre me dá. Amo você e os cafunés que faz em mim. Amo você e os afagos que eu faço nos seus cabelos. Amo você e as férias que passamos em Fortaleza. Amo você e todos os lugares por quais já passamos. Amo você, Jimi Hendrix e aquela música que estava tocando na segunda vez que saímos, "Little Wing". Amo você e a forma pela qual nós nos apaixonamos tão de cara. Amo você e os planos de casamento que nós fazemos. Amo você e o amigo que você é para mim, o meu melhor amigo. Amo você e o nosso companheirismo. Amo você e acho incrível me sentir tão única para alguém, como me sinto para você. Amo você e o nosso lar. Amo você e o fato de poder estar em qualquer lugar, mas se estamos juntos, me sinto em casa. Amo você e quero ser sempre a pessoa que vai estar ao seu lado, te agradando, te fazendo feliz e sei que não preciso ser perfeita para isso, você me ama assim, um pouco atrapalhada mesmo. Amo você e tudo o que a gente aprende dentro da nossa convivência. Amo você e o quanto amadurecemos sem perder a graça dos momentos simples, leves, nossos. Amo você e o quanto a gente se pertence. Amo você e o nosso dia, 27 de maio. 

Amo você e que tenhamos mais infinitos motivos para comemorar. Feliz nós dois.

4 de maio de 2017

Ahhh, o amor!

Se tem algo que eu acho lindo nesta vida, é o sentimento de amar. O amor pelos pais, pelos irmãos, pelos filhos, pelos amigos, pelos animais. O amor pela vida, por viver, por existir. E claro, o amor por aquela pessoa que transforma a nossa vida, que deixa os dias mais bonitos, mais cheios de cor, que faz tudo ter mais sentido, que torna tudo mais fácil e mais simples.

Eu já encontrei essa pessoa, é um moço que tem os olhos miudinhos e me conquistou de cara. Cantava canções de amor e às vezes tocava no violão também. Ele tem uma voz doce, suave, que acalma e ao mesmo tempo me deixou cheia de coragem. Eu sabia que viveríamos coisas lindas, mas que também passaríamos por situações difíceis. Passamos, por várias, porém ele esteve ao meu lado, até quando eu achei que não estava e isso nos deixou mais forte, muito mais forte. É como aquela música do Djavan, "se nós estivermos juntos, haverá um céu azul, um amor puro, não sabe a força que tem". Nós estamos juntos, e como ele mesmo diz, somos um. E eu acredito nesse amor, sabe? No qual a gente vive um para o outro, compartilha os problemas, as alegrias, que a gente sabe que vai ter alguém para te ouvir e te oferecer aquele colo cheio de carinho e quentinho.

O meu moço trouxe um pouco de futebol para a minha vida também, entendi que os jogos do Botafogo são sagrados e já até fiz a graça de acompanhá-lo em alguns. Aprendi a gostar e hoje até torço a favor. O clássico Real Madrid e Barcelona também é um jogo pelo qual aprendi a simpatizar. Às vezes ele tem paciência para me explicar lances, jogadas, como funciona o campeonato e pontuação, mas só às vezes, quando está no calor do jogo, ele não tem. E quando os jogos são bem tarde, eu começo a assistir ao lado dele, mas durmo nos primeiros 10 minutos de jogo, ele me deixa ali até acabar para irmos dormir juntos, apesar de que na prática eu já estou dormindo há tempos.

O que dizer sobre o tanto de lugares que nós já deixamos um pouco do nosso amor? Deixamos e trouxemos um outro tanto da energia de todos esses lugares. Areal, meu primeiro réveillon longe de casa, mas ao lado dele, a família que construímos. Passeamos por Petrópolis, Museu de Cera, Casa de Santos Dumont, Palácio de Cristal e a Cervejaria Bohemia, bebemos uma cerveja de nome estranho e gosto mais amargo que tudo. Depois então vieram as águas cristalinas de Arraial do Cabo, onde desejávamos dias de sol e na verdade tivemos mais dias de chuva. Tinha tanto chileno, argentino que ele dizia que iria sair de lá fluente em castelhano, me fazendo rir, bobo que é. Em outubro, para comemorar o nosso aniversário - sim, dois librianos juntos, pense - viajamos para Fortaleza e vivemos dias incríveis lá, o nordeste me encanta e que sorte por ter sido ao lado dele. Foi no espigão a Beira Mar, na nossa última noite, que ele disse que queria casar comigo, foi algo tão nosso, o momento, o sentimento, aquele olhar que sempre me convida para ser dele, e sou, sempre sou. Antes de começar o carnaval decidimos descansar em Paquetá, mas não contávamos que o bloco mais famosinho de lá aconteceria naquele mesmo final de semana . A ilha estava cheia, mas conseguimos curtir o nosso amor.  Depois nos aventuramos por Penedo, um friozinho gostoso e muitos chocolates, muito verde e muita comida boa também. Só não contávamos com tanto frio, levamos mais roupas de calor e passamos mal. No fim, sobrevivemos.

O meu moço cuida de mim e do nosso amor de uma forma que a cada dia me surpreende mais. Ele cuida da casa, da comida e cozinha bem, viu? É tudo recheado de amor e por isso fica tão bom. Cuida de mim quando estou doente ou quando me machuco, não me sinto sozinha e isso é essencial para a gente se sentir bem e melhorar de qualquer coisa. Eu amo como ele faz eu me sentir tão segura, tão amada, tão desejada, tão dele. Daí ele bem com os beijos cheios de ternura, o cheiro no cangote, o afago nos cabelos e aqueles beijos que me engolem inteira, que se tornam urgências e sempre terminam em nossas pernas se enrolando nos lençóis da cama, ou no sofá, ou no banheiro, ou qualquer outro lugar. E ele é assim, nós somos assim, esse amor que cuida, que é companheiro, que se preocupa e arranca sorrisos quando os dias estão nublados, que faz piadas de coisas bobas, que é tesão em qualquer hora e lugar, mas é uma noite de conchinha quando os dias forem cheios e cansativos também. Um amor que me deixa tão feliz como nunca imaginei ser por ter alguém e por ser de alguém, assim como somos um do outro.

24 de março de 2017

Essas manhãs

Ei, moço, sabe qual o meu dia preferido? Aqueles que não temos hora pra levantar, que posso sentir teu cheirinho de manhã que se estica, que posso despertar devagar com as suas pernas em cima das minhas. Esses dias, ai como eu gosto de tê-los. Quando você acorda me enche de beijinhos e me abraça tão forte que deixo de sentir meus ossos e passo a sentir os seus. São dias cheios de amor e ternura, dias leves, dias azuis. Você sempre fica me olhando, com esses teus olhos miudinhos, que ficam ainda mais cerrados, me olha como se eu fosse novidade, sapeca, sua. E sou. Todinha. Na nossa cama, nossos lençóis, nesse espaço tão nosso. Você diz alguma sacanagem, me deixa boba, de riso solto. Faço café pra gente, coloco sua camiseta amarela, ou não coloco nada. E você sempre diz que não tenho vergonha, não tenho mesmo, não de você. Pra você sou assim, nua, de corpo e alma. Amo me sentir livre desse jeito, é uma liberdade tão boa, e repouso em você. Esse passarinho que sou e que se aninhou em ti.