24 de março de 2017

Essas manhãs

Ei, moço, sabe qual o meu dia preferido? Aqueles que não temos hora pra levantar, que posso sentir teu cheirinho de manhã que se estica, que posso despertar devagar com as suas pernas em cima das minhas. Esses dias, ai como eu gosto de tê-los. Quando você acorda me enche de beijinhos e me abraça tão forte que deixo de sentir meus ossos e passo a sentir os seus. São dias cheios de amor e ternura, dias leves, dias azuis. Você sempre fica me olhando, com esses teus olhos miudinhos, que ficam ainda mais cerrados, me olha como se eu fosse novidade, sapeca, sua. E sou. Todinha. Na nossa cama, nossos lençóis, nesse espaço tão nosso. Você diz alguma sacanagem, me deixa boba, de riso solto. Faço café pra gente, coloco sua camiseta amarela, ou não coloco nada. E você sempre diz que não tenho vergonha, não tenho mesmo, não de você. Pra você sou assim, nua, de corpo e alma. Amo me sentir livre desse jeito, é uma liberdade tão boa, e repouso em você. Esse passarinho que sou e que se aninhou em ti.


Nenhum comentário: